banner5

Ministro do TSE manda tirar do ar postagens com fake news sobre Instituto Lula

foto:TSE

 
O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Paulo de Tarso Sanseverino determinou, hoje, que sejam retiradas do ar postagens em redes sociais com a informação falsa de que o Ipec (Instituto de Pesquisa e Consultoria Estratégica) fica no mesmo endereço do Instituto Lula, do candidato à presidência Luiz Inácio Lula da Silva (PT).
 
 
Segundo o magistrado, embora o youtuber bolsonarista Gustavo Gayer, autor original da fake news, tenha se retratado e deletado a mensagem do ar, o vídeo continuou a ser compartilhado nas redes. As informações são do O Globo.
 
 
A decisão foi tomada a pedido de advogados da campanha de Lula e atinge diretamente o influenciador digital e apoiador do presidente Jair Bolsonaro — candidato à reeleição em outubro — e outras oito pessoas com perfis no Twitter, TikTok e Facebook.
 
Em sua manifestação, o ministro do TSE informou que, se a determinação não for cumprida, os responsáveis serão multados em valores a serem arbitrados pelo tribunal. Ele destacou os seguintes trechos do vídeo divulgado:
 
“…eu acabei de fazer essa pesquisa, não tem erro. Chequei 3 (três) vezes porque eu não estava conseguindo acreditar, então vou resumir para você e você me ajuda a divulgar isso com o maior número de pessoas que você puder. O instituto de pesquisas que tem credibilidade para ser divulgada por toda a imprensa como séria, está dentro do Instituto Lula. Ela é o Instituto Lula. O instituto do candidato a (sic) presidência, o ex-presidiário Lula é o instituto que tá dando os resultados das pesquisas que são divulgadas em todo o território nacional pela imprensa tradicional …”
 
De acordo com a decisão, o autor da “narrativa falaciosa” confundiu deliberadamente o renomado instituto de pesquisas Ipec, sediado na Alameda Santos 1.165, pelo Instituto de Pesquisa e Estudos de Cidadania, antiga razão social do Instituto Lula, localizado na rua Pouso Alegre, 21, Ipiranga, ambos na cidade de São Paulo.
 
Logo após a postagem, o influenciador retirou o material do ar e publicou uma retratação voluntária em seu canal no Youtuber e no Facebook. Porém, segundo o ministro do TSE, a informação errada já havia sido disseminada em diversas outras redes sociais.
 

Por: BlogdoMagno

Compartilhe:

Deixe um comentário