banner5

Acusado de matar Marielle é condenado por posse e venda de armas

foto:uol

Ronnie Lessa, ex-policial militar acusado de matar Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes em 2018, foi condenado por venda ilegal de armas. A 40ª Vara Criminal do Rio de Janeiro a Magistrada Alessandra Bilac decidiu que a pena seria de 13 anos e 6 meses de prisão.
 
Os documentos, aos quais a impressa teve acesso, afirmam que o acusado possuía 117 fuzis, além de acessórios “exclusivos para armas de fogo de calibre bruto”. Essas armas relacionadas ao policial foram descobertas na casa de Alexandre Motta de Souza seu amigo.em 2019; segundo a cobertura da época, Motta de Souza “demonstrou surpresa e desespero com o que havia dentro”.
 
“Destaca-se que o acusado possuía em depósito inúmeras peças aptas a montar pelo menos 117 fuzis, além de acessórios exclusivos para armas de fogo de grosso calibre, em desacordo com a determinação legal”, escreve a juíza Alessandra Bilac na decisão.
 
Continuando: “Conduta que vulnera em demasia a incolumidade pública, trazendo grande temor e insegurança social para nosso Estado”.
 
A quantidade, o estado em que foram descobertos e as circunstâncias que envolveram a apreensão dos fuzis, segundo a sentença, “excluem claro que os fuzis depois de montados e os acessórios seriam destinados à venda”. Lessa foi condenado por ter em seu depositário à venda “planos de montagem de armas de uso restrito e acessórios afins adquiridos consciente e voluntariamente de acordo com a lei pátria, 
Compartilhe:

Deixe um comentário