banner5

Afogados da Ingazeira.

Cidade das Bandeiras.

 

 
Por : Ana Maria Santos.
Afogados está totalmente enfeitada, com as Bandeiras que representam os candidatos que estão disputando um cargo no pleito eleitoral. O povo animado, cada um, com muita euforia torce para que seu representante saia vitorioso.
As bandeiras alegram alguns, enquanto outros, acham que elas atrapalham o direito de ir vir nas vias públicas da cidade. Porém, as bandeiras estão fixada em praças públicas apenas, para que o eleitor fique sempre lembrado do seu candidato.
O Brasil tem a oportunidade de deixar o marco nessas eleições, escolhendo aqueles que vai representar um povo, uma nação sofrida com políticos que não respeitam a liberdade de imprensa, políticos que não defendem a classe dos trabalhadores brasileiros. Sabemos que a grande maioria da população, tentam sobreviver apenas com um salário mínimo. A nomenclatura já diz, “mínimo, pequeno”.
Que os candidatos eleitos e reeleitos, de presidente ao deputado estadual, realmente tenham antes de tudo, honestidade, para honrar a cada brasileiro que lhe confiou o voto. Responsabilidade e amor ao nosso país, Isso é o mínimo que podemos esperar de nossos representantes. O Brasil precisa sorrir de alegria e não chorar de tristeza por quatro anos, por não sabermos escolher bem os nossos representantes.
Para não correr o risco de esquecer o número dos candidatos, é aconselhável, que se leve a famosa colinha, assim não correrá o risco de esquecer na hora de votar. Vamos dá o grito de liberdade. Segundo, o grande e inesquecível Eduardo Campos, “nunca vamos desistir de lutar por um país mais justo para todos. Pra cima Brasil, porque esse país pertence a nação brasileira. Políticos passam e o Brasil continua nas mãos de uma nação que zela e pede pela ordem e progresso desse gigante que se chama Brasil.
Compartilhe:

2 comentários em “Afogados da Ingazeira.”

  1. Falou tudo Ana, é vergonhoso termos no nosso país um Presidente da República sem empatia, misógino, homofóbico e que deseja retornar a ditadura militar, e dar um golpe de estado.

Deixe um comentário