banner5

Varíola dos Macacos: PE tem mais de 100 casos

 
Apesar de autoridades no mundo estarem apontando um avanço mais lento, e até queda, da varíola dos macacos, no Brasil ela ainda avança, à medida em que os testes vão sendo realizados e confirmados. Em Pernambuco, em uma semana, as confirmações praticamente dobraram: agora o estado tem 111 pacientes diagnosticados com o vírus monkeypox, que causa a doença, conhecida há mais de 50 anos na África, mas que se tornou um surto, desde o início deste ano, a partir da Europa.
 
Em nova divulgação de boletim, nesta terça-feira (20), o Centro de Informações Estratégicas de Vigilância à Saúde (Cievs-PE) informou também que Pernambuco já contabiliza 885 notificações da varíola dos macacos, 238 a mais desde o último boletim divulgado no fim da última semana. Desses, 278 casos foram descartados e 496 seguem em investigação, sendo 444 casos suspeitos e 52 casos prováveis conforme notificação definida pelo Ministério da Saúde (MS).
 
Dos 111 pacientes que tiveram confirmação laboratorial, 89 são homens, e 22, mulheres. A maior parte dos casos se encontra numa faixa etária que vai dos 20 aos 49 anos (86 registros). Seis crianças com faixa etária de 0 aos 9 anos, contudo, obtiveram confirmação para monkeypox, no estado.
 
Dos 496 casos que ainda estão em investigação, 444 são suspeitos, isso significa que só se suspeita que um sintoma pode ser considerado varíola dos macacos quando o paciente apresenta início súbito de lesão em mucosas ou erupção cutânea aguda. Já os casos prováveis, que são 52, são enquadrados quando além das lesões cutâneas, o paciente também apresenta outros critérios como exposição próxima e prolongada com casos prováveis ou confirmados.
 
No Brasil, o Ministério da Saúde já confirmou 6, 8 mil casos. No mundo, a varíola dos macacos já atingiu mais de 50 mil pessoas, desde o início do ano, de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). Houve, porém, apenas 13 mortes, duas no Brasil (ambas de pacientes homens que já estavam com a saúde debilitada por comorbidades).
 
Por: AfogadosFM
Compartilhe:

Deixe um comentário