banner5

O vaqueiro.

A festa da vaquejada nordestina.
 
Por: Ana Maria Santos.
A vaquejada nordestina, praticada e vivenciada pelos amantes do esporte, a vaquejada acontece com mais frequência no nordeste brasileiro.
É a famosa pega de boi que se dá entre dois homens que correm na pista cercando o boi, ou seja, um vaqueiro faz a escora até a linha de chegada, sempre ao final da pista onde tem uma marca feita com “cal”, para se destacar da areia e ali um dos vaqueiros faz a derrubada do boi dentro da linha e o locutor do evento anuncia se valeu ou não, a atuação da dupla concorrente da vaquejada.
Há controvérsia sobre a história. Mas… Existem pesquisas onde diz que a primeira vaquejada ocorrida no mundo aconteceu na cidade de “Morada nova no Ceará,” porém a cidade de Currais novos no Rio Grande do Norte, é considerada o berço da vaquejada onde a tradição é mantida até os dias de hoje.
Há pesquisas também que dizem que a primeira vaquejada no perímetro urbano foi na cidade de Surubim, em Pernambuco, ou seja: a primeira vaquejada realizada na cidade, porque até então só havia vaquejada na zona rural.
O sentido da vaquejada, é tão somente uma diversão do vaqueiro nordestino, onde dois vaqueiros, o que vai derrubar o boi e o bate esteira, montados em seus cavalos encurralam o boi até a linha de chegada onde é feito a queda do boi, que é puxado pela calda.
Para concorrer as pegas de boi se compra uma senha, conseguindo derrubar o boi na linha de chegada ai, é só partir para o abraço.
Sabemos que a vaquejada, é considerada um esporte nordestino e tem uma legião de adeptos. Antes era chamada de festa de “apartação”, depois as festas foram crescendo, se popularizando e dai passou a ser chamada de vaquejada.
Enfim… aqui historiamos, só um pouquinho da história do esporte mais popular do nordeste brasileiro, onde os aboiadores colocam suas vozes ao pé do ouvido e tome verso de gado para a rapaziada presente. E onde tem festa de gado, tem mulher com com bota e gibão, tem gado caindo na pista e o vaqueiro com amor no coração. Viva a festa da vaqueirama nordestina.
 

 

Compartilhe:

Deixe um comentário