banner5

Câmara e Senado bolsonaristas

 

 

A Câmara dos Deputados será formada na próxima legislatura, em sua maioria, por deputados que compõem o Centrão ou são filiados a partidos de centro-direita. Dos 513 eleitos, 273 integram esse bloco político, enquanto o PT e os partidos da esquerda conseguiram 138 cadeiras.
 
 
Segundo levantamento do site Poder360, o PL elegeu 99 deputados em 2 de outubro de 2022. Com o resultado, a sigla do presidente Jair Bolsonaro (PL) passará a ter a maior bancada da Câmara a partir de 2023. É o maior número de eleitos por um partido na Casa Baixa desde 1998. Na sequência, aparece a federação PT/PV/PCdoB, com 80 congressistas e o União Brasil, com 59.
 
 
Mais da metade dos eleitos corresponde a deputados que conseguiram se reeleger. São 227 novos eleitos em 2022. Com esse resultado, a taxa de renovação da Câmara foi de 44,24% em 2022, a segunda menor desde 1998. Há quatro anos, esse percentual havia sido de 46,6%. Embora a taxa de renovação tenha sido menor, o número de deputados que se declaram negros eleitos em 2022 subiu para 135.
 
É uma alta de 26% em relação a 2018. A bancada feminina da Câmara também terá mais representantes a partir de 2023. Serão 91 deputadas na Casa Baixa, o equivalente a 18% das cadeiras. Em 2018, elas representavam 15% dos eleitos. Já no Senado, a maior bancada será do PL, que terá 13 representantes. Na sequência, está o União Brasil, com 12 senadores. MDB e PSD terão 10 senadores cada um.
 
Das 27 cadeiras disponíveis no Senado, só 5 serão ocupadas por senadores reeleitos. Ao todo, 13 congressistas tentaram renovar seus mandatos por mais 8 anos. O resultado do 1° turno mostrou que o presidente Jair Bolsonaro (PL) conseguiu uma base robusta de apoiadores no Senado. Dos 27 eleitos, 14 são apoiados pelo chefe do Executivo, enquanto 8 são apoiados pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).
 
Negritude – Entre os eleitos no Senado, seis são negros. Eles se juntarão aos 14 senadores em meio de mandato que se autodeclaram pretos ou pardos em 2018. Com isso, representarão 25% da Casa Alta a partir de 2023. Já a bancada feminina permanecerá a mesma em 2023. Serão 14 senadoras -10 em meio de mandato e quatro eleitas em 2022. Outras quatro congressistas da Casa terminarão seus mandatos em 2022.
 
Por: BlogdoMagno
Compartilhe:

Deixe um comentário