banner5

Bolsonaro diz que espera ter “no mínimo 55%” dos votos

 

 

O presidente e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL), afirmou neste sábado (29.out.2022) que espera receber “no mínimo” 55% dos votos nas eleições. O chefe do Executivo comparou o pleito com um jogo de futebol ao dizer que quem faz “mais gols” vence o campeonato.
 
“Quem fizer mais, leva. É igual o Flamengo. Fez mais gols, levou”, disse a jornalistas no Rio de Janeiro, em referência ao título conquistado pelo clube carioca na Copa Libertadores da América. Ele não detalhou se falava sobre votos válidos (excluídos brancos e nulos).
 
Depois de participar do debate da TV Globo na 6ª feira (28.out), Bolsonaro afirmou que quem tivesse mais votos seria o vencedor das eleições e disse que aceitaria o resultado. “Não há menor dúvida. Quem tiver mais votos leva. Isso é democracia”, declarou o presidente em entrevista à jornalista Renata Lo Prete.
 
Neste sábado, o chefe do Executivo mencionou a conquista da Libertadores pelo Flamengo. O time carioca venceu o Athletico Paranaense por 1 a 0. Bolsonaro repetiu que irá recepcionar os jogadores do time rubro-negro no Aeroporto do Galeão neste domingo (30.out). “O Flamengo pediu transporte para a gente e determinei que fosse atendido”, afirmou.
 
O presidente também disse que a sua expectativa para a eleição é a “melhor possível”. Na 6ª feira (27.out), o presidente do Partido Liberal, Valdemar Costa Neto, disse, em vídeo enviado a filiados da legenda, que Bolsonaro está à frente do candidato do PT ao Palácio do Planalto, Luiz Inácio Lula da Silva, nos levantamentos internos da campanha, mas que a “margem é muito pequena”.
 
“Tenho certeza que já temos votos o suficiente. Você tem que lutar até o último segundo”, disse o presidente. Bolsonaro votará neste domingo na Escola Municipal Rosa da Fonseca, na praça Marechal Hermes, na Vila Militar.
 
Sobre o anúncio de que aumentará o salário mínimo para R$ 1.400, o chefe do Executivo reafirmou o compromisso, mas não detalhou quais seriam as fontes para bancar a promessa. A medida custaria R$ 73,3 bilhões aos cofres públicos em 2023.
 
“Os R$ 1.400 está garantido, está tudo certo. Tem espaço fiscal para isso, R$ 1.400 de salário mínimo. Agora, demonstrar [que] temos diminuído impostos e aumentado arrecadação, isso é uma verdade”, disse.
 
O valor representa uma alta de R$ 188 em relação ao salário mínimo atual, de R$ 1.212. Significa uma correção de 15,5%, percentual bem acima do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) previsto para este ano.
 
Bolsonaro anunciou que, caso reeleito, iria aumentar o salário mínimo, aposentadorias e pensões acima da inflação. Em lista de 22 compromissos divulgados em suas redes sociais neste sábado (29.out), afirmou que pretende aumentar o salário mínimo “acima da inflação todos os anos até 2026”.
 
Do Poder360
Compartilhe:

Deixe um comentário