banner5

Manifestantes que fecharam rodovias em Pernambuco são identificados e vão responder criminalmente, diz SDS

 

 

A Secretaria de Defesa Social (SDS) disse, nesta terça-feira (1º), que começou a identificar os participantes de atos antidemocráticos e de interdições de rodovias em Pernambuco. Também informou que eles vão responder criminalmente. Até o início da noite, ninguém havia sido detido por participar das ações feitas por manifestantes bolsonaristas. A SDS fez uma reunião na sede do Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CCICR), no Centro do Recife.
 
O secretário de Defesa Social Humberto Freire disse que as polícias estão fazendo relatórios para que, por meio da Polícia Federal e do Ministério Público, os participantes de atos antidemocráticos sejam responsabilizados.
 
“Algumas pessoas já foram identificadas e serão responsabilizadas criminalmente por essas interdições. As penas para esses crimes vão de 4 a 8 anos de reclusão. Também temos multas que podem ser impostas, em torno de R$ 5 mil, de R$ 17 mil, e, conforme a decisão do STF, multas que podem ir até R$ 100 mil, por pessoa que tenha praticado isso”, afirmou o secretário.
 
Na tarde desta terça-feira, o Ministério Público Federal (MPF) promoveu uma reunião com representantes de órgãos de segurança em Pernambuco . O MPF expediu uma recomendação para a PRF e uma requisição para a PRF e a PF para que atuem diante dos bloqueios totais ou parciais das rodovias federais que cortam o estado.
 
O secretário Humberto Freire disse que essa recomendação tem sido cumprida e que as equipes têm usado o uso progressivo da força para fazer as desinterdições.
 
“Estamos trabalhando muito forte com inteligência, identificando essas pessoas, colocando em relatórios para que a gente, num momento adequado, possa responsabilizar essas pessoas e impor as multas cabíveis. A gente tem que, no operacional, avaliar qual é o melhor momento de cumprir possíveis ordens de prisão ou efetuar prisões em flagrante”, disse.
 
A reunião da SDS teve a participação do superintendente da PRF em Pernambuco, Antônio Vital; do diretor regional executivo da PF no estado, Bernardo Torres; o chefe da Polícia Civil, Nehemias Falcão; o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Rogério Coutinho; e do diretor de planejando operacional da PM, coronel Ronaldo Tavares.
 
O secretário Humberto Freire disse, também, que a Polícia Federal vai apurar por quais crimes os manifestantes serão responsabilizados.
 
Segundo ele, o inquérito instaurado na PF é que vai apurar a amplitude dessas ações e os tipos penais em que essas pessoas serão enquadradas.
 
“A gente não pode fazer a manifestação das ideias com vistas a atacar a democracia. O resultado que foi divulgado é soberano. Não vamos admitir atos violentos que atentem contra ele. O próprio pronunciamento do presidente da República demonstra que interdição de vias não é caminho para nada e que isso está fora da legalidade”, afirmou.
 
Do G1
Compartilhe:

Deixe um comentário