banner5

Sinalização zero do secretariado

 

Excepcionalmente, por questões do clima de deserto no Qatar, Oriente Médio, a Copa do Mundo de 2022 está tendo o seu start amanhã, com estreia da seleção brasileira para a próxima quinta-feira, às 16 horas de Brasília, contra a Sérvia. Serão 30 dias de olho na bola, na torcida pelo escrete verde e amarelo.

Diante disso, as atenções quanto ao Ministério de Lula e o Secretariado de Raquel Lyra, governadora eleita de Pernambuco pelo PSDB, serão divididas.

A Copa dura 30 dias e até lá esses nomes serão do conhecimento público, pelo menos no caso do Governo Lula, que já disse no Egito, onde se encontra, que anuncia sua equipe na primeira semana de dezembro. Já Raquel não deu um pio ainda sobre o assunto. Sua comissão de transição ficou restrita a oito integrantes, todos técnicos, com exceção da vice-governadora eleita Priscila Krause, no final do exercício do seu mandato de deputada estadual pelo Cidadania.

Ontem, o coordenador técnico da transição de Lula, Aloizio Mercadante, disse que o novo ministro da Defesa deve ser um civil e não um militar. Em Pernambuco, não há sinalização de nenhum secretário, nem por parte da governadora eleita nem tampouco por autorização de Raquel a Priscila. A tucana, entretanto, terá pela frente uma costura muito delicada e complexa com a sua base de sustentação na Assembleia Legislativa.

Não existe governo autônomo, ou seja, com a mais ampla liberdade de escolher todos os seus auxiliares. É fato que o núcleo duro da governadora será montado por ela a dedo, mas as pastas para composição e acordos políticos, não. Raquel foi ao segundo turno, vale a ressalva, com o apoio apenas do seu partido e do Cidadania, de Daniel e Priscila.

Mas para ser eleita no segundo turno, quando derrotou Marília Arraes, contou com apoios os mais amplos possíveis, do PP, de Dudu da Fonte, até de deputados do PSB, isso sem falar da grande parte de prefeitos socialistas que apoiaram Danilo Cabral no primeiro turno. Ela tem dito que não assumiu compromissos com ninguém, mas sem participação dos partidos da base de apoio ela não governará.

Por Blog do Magno

Compartilhe:

Deixe um comentário