banner5

Vassourada de Raquel provoca caos nas repartições públicas

A vassourada da governadora Raquel Lyra exonerando todos cargos comissionados do Estado e determinando a volta dos efetivos aos órgãos de origem provocou um verdadeiro caos em todas as repartições públicas do Governo de  Pernambuco. Com o ato, a nova mandatária parou serviços básicos do Estado como, por exemplo, licitações simples para compra de material de expediente.

Na Fundarpe, todo processo de contratação para o Carnaval, que é logo ali, parou. Do interior à capital, todas as unidades do Governo estão em polvorosa. Como as secretarias não fizeram transição, uma vez que os novos secretários só foram anunciados pouco antes da posse, e ainda estão montando esquipe, os funcionários efetivos estão se aglomerando de braços cruzados sem saber o que fazer e nem a quem responder.

As áreas meio das secretarias, muitas preenchidas com servidores de carreira da Secretaria de Planejamento, técnicos da burocracia estatal sem bandeira partidária, também pararam. Para se ter uma ideia: insumos importantes como medicamentos, material hospitalar, fardas escolares e cestas básicas para alimentar o povo podem sofre descontinuidade na suas compras; tudo devido à canetada de Raquel.

Gente com experiência em política e administração pública avalia que a atitude da nova governadora foi precipitada e típica de que não conhece o tamanho da máquina que administra. Eles concordam que Raquel precisa preencher os cargos de confiança com gente sua, o que é natural da política. Mas, avaliam, isso deveria ser feito aos poucos, justamente para evitar o caos instalado e que a máquina do governo – que é gigante – pare.

Por Blog do Magno

Compartilhe:

Deixe um comentário