banner5

Eclipse solar total poderá ser visto do Brasil? Entenda.

No eclipse solar total, a Terra, a Lua e o Sol se alinham em uma posição exata, o que faz com que o Sol seja tapado pela Lua de quem observa da Terra  (foto: Mathew Schwartz/Unsplash)
No eclipse solar total, a Terra, a Lua e o Sol se alinham em uma posição exata, o que faz com que o Sol seja tapado pela Lua de quem observa da Terra (foto: Mathew Schwartz/Unsplash)

Fenômeno astrológico ocorrerá na segunda-feira (08/04)

Um eclipse solar total ocorrerá na próxima segunda-feira (08/04), mas não poderá ser visto de todos os locais do globo terrestre. Dessa vez, os sortudos serão os observadores de México, Canadá e Estados Unidos, que poderão acompanhar o fenômeno de modo total ou parcial.

No Brasil, o eclipse não estará visível, assim como não estará no restante dos países localizados no Hemisfério Sul da Terra. Porém, deve ocorrer um eclipse solar anular em 2 de outubro deste ano, que será visível aos brasileiros.

O eclipse solar ocorre quando a Lua se posiciona entre o Sol e a Terra, de forma que bloqueia a entrada da luz solar que chega à Terra. Quando a Lua bloqueia apenas parte da luz do Sol, o eclipse é chamado parcial ou anular. Quando, por sua vez, ela bloqueia toda a luz do Sol, há um eclipse total.

No eclipse solar total, a Terra, a Lua e o Sol se alinham em uma posição exata, o que faz com que o Sol seja tapado pela Lua de quem observa da Terra. No eclipse parcial, os três astros não estão completamente alinhados.

De acordo com a agência espacial norte-americana (Nasa), o primeiro local na América do Norte continental a ver o eclipse total será a costa do Pacífico do México, perto das 15h07 (horário de Brasília).

Esquema de eclipse total do sol (foto: Time and Date/Reprodução)
Esquema de eclipse total do sol (foto: Time and Date/Reprodução)

Eclipse no Brasil

O próximo eclipse a ser avistado no país será em 2 de outubro de 2024 e poderá ser visto nos estados da Região Sul, Sudeste e Mato Grosso do Sul, além de trechos da Bahia, Goiás e Mato Grosso.

Confira as informações no Correio Braziliense.

Compartilhe:

Deixe um comentário