banner5

Saiba como acompanhar o eclipse da lua desta segunda-feira (25)

Eclipse lunar penumbral deixa a Lua cheia menos brilhante
Eclipse lunar penumbral deixa a Lua cheia menos brilhante – Nasa / Personare

O eclipse vai começar após o nascimento da Lua cheia e será visível dependendo das condições climáticas.

Os brasileiros vão poder assistir a um eclipse lunar penumbral na madrugada desta segunda-feira, 25. Para acompanhá-lo, basta olhar para o céu. O fenômeno terá início às 1h53 da madrugada (horário de Brasília), com ponto máximo às 4h12. O eclipse será visível em todo o País.

O eclipse vai começar após o nascimento da Lua cheia e será visível dependendo das condições climáticas. Será mais fácil observá-lo se o céu estiver limpo. A Lua vai passar pela penumbra da Terra – por isso, o nome de eclipse lunar penumbral. Em algumas regiões, como São Paulo, uma pequena fatia da Lua vai escapar da penumbra terrestre.

Os eclipses da Lua podem ser vistos com segurança a olho nu, sem necessidade de equipamento especial. Essa modalidade, no entanto, não é tão impactante como eclipses totais. A Lua parecerá um pouco mais escura do que o normal, mas não será parcial ou completamente coberta pela sombra da Terra.

“Os eclipses lunares ocorrem na fase de lua cheia. Quando a Terra está posicionada precisamente entre a Lua e o Sol, a sombra da Terra incide sobre a superfície da Lua, escurecendo-a e, por vezes, tornando a superfície lunar num vermelho impressionante ao longo de algumas horas”, diz publicação oficial da Agência Aeroespacial dos Estados Unidos (Nasa) sobre o fenômeno.

Se não for possível acordar de madrugada, os brasileiros terão outra oportunidade de ver um eclipse lunar parcial entre 17 e 18 de setembro. Para março do ano que vem, está previsto um eclipse lunar total, quando a Lua fica totalmente avermelhada.

Tipos de eclipses lunares:

– Eclipse lunar penumbral: É o tipo mais sutil de eclipse lunar. Ocorre quando a Lua entra na sombra externa da Terra (penumbra). Ou seja, quando não se vê o disco de sombra da Terra sobre a Lua, mas sua luminosidade diminui um pouco porque o cone de sombra da Terra está próximo.

– Eclipse lunar parcial: Quando a sombra da Terra encobre parcialmente o disco da Lua, de acordo com o movimento do nosso planeta e do seu satélite natural ao redor do Sol. Ou seja, apenas uma parte da Lua é atingida pela sombra da Terra.

– Eclipse lunar total: Quando o disco da Lua é totalmente encoberto pela sombra da Terra. A parte mais escura da sombra da Terra – a umbra – cobre a Lua no meio do eclipse.

Eclipse lunar x eclipse solar:

– Eclipse lunar: A Terra está alinhada entre a Lua e o Sol.

– Eclipse solar: A Lua se coloca exatamente entre o Sol e a Terra.

Por: JC.

 

Maré alta causa alagamentos em bairros do Recife; entenda.

Áreas que possuem aterros são mais propensas a passarem por este tipo de situação (Foto: Reprodução/Twitter)
Áreas que possuem aterros são mais propensas a passarem por este tipo de situação (Foto: Reprodução/Twitter)

O fenômeno natural causa alagamentos na cidade, que sofre com a lentidão do escoamento das águas.

Bairros do Recife registram alagamento nesta segunda-feira (11), mesmo sem a presença de chuvas. Motoristas e pedestres têm dificuldades em passar por ruas de bairros como  Boa Viagem, Afogados, Boa Vista e Ilha do Leite.
De acordo com a Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb), o alagamento é devido à maré alta e áreas que possuem aterros são mais propensas a passarem por este tipo de situação. A maré atingiu 2.7 m por volta das 17h desta segunda-feira, causando diversos pontos de alagamento na cidade.
“Regiões que historicamente sofrem com alagamentos, muito por conta de grandes áreas aterradas, vêm sendo beneficiadas com intervenções da administração municipal.  Entretanto, é importante lembrar que diversas áreas da cidade foram construídas em aterro, ficam abaixo do nível do mar e sofrem com a influência das marés, alagando partes dessas áreas e bairros mesmo sem incidência de chuvas”, informou a Emlurb por meio de nota.
Apesar do Recife estar de 2 a 8 metros acima do nível do mar, é um município plano, com alguns pontos baixos, que sofrem com alagamentos. De acordo com a Emlurb, as poças de água devem sumir assim que a maré baixar.
A Emlurb é responsável pela drenagem das águas e destacou que já realizou diversas ações para evitar que os moradores se prejudiquem com este cenário. Segundo a autarquia, desde 2021 já foram feitas “mais de cem ações de mitigação como obras de intervenção em pontos importantes como Estrada das Ubaias e o alargamento do Rio Tejipió, de 10 para 30 metros, no trecho próximo à Avenida Recife, entre os bairros de Areias e do Ipsep”.
“Além disso, foi finalizada também a desapropriação e demolição de cerca de 100 imóveis situados perto das margens do rio. Também foram iniciadas as obras de construção do Parque Alagável do Rio Tejipió. Com cerca de 3,9 mil m2 de área, o equipamento será implantado nos bairros do Ipsep e Areias, como parte do projeto de urbanização das margens do rio”, informou a Emlurb.