banner5

Golpe da ”prova de vida’: saiba como evitar cair em golpe de falsos servidores do INSS.

INSS fez alerta para golpe (Foto: Arquivo)
INSS fez alerta para golpe (Foto: Arquivo)

O INSS fez um alerta sobre falsos funcionários que visitam casas dos beneficiários e coletado informações privadas.

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) emitiu, esta semana,  um alerta sobre “falsos servidores” que estão aplicando golpe nos aposentados, pensionistas e beneficiários de auxílios.

De acordo com o instituto,  pessoas usando  crachás falsos estão se passando por funcionários para fazer “prova de vida presencial”, solicitando dados e fotos dos beneficiários.
“Não forneça qualquer informação e ligue para a polícia. As imagens chegaram ao instituto nesta quinta-feira e serão encaminhadas à Procuradoria Federal Especializada, que envia à Polícia Federal para identificação dos falsários e como tiveram acesso aos dados dos beneficiários. O INSS acrescenta que não está realizando pesquisa externa para prova de vida. É golpe!”, diz o alerta.
Metodologia
A metodologia para realizar a “prova de vida” mudou desde 2022 e o INSS deve comprovar se o beneficiário está vivo através da análise e cruzamento de dados disponibilizados por governos federais, estaduais e municipais e instituições.
“É importante que na prova de vida o assegurado esteja sempre em contato com os canais oficiais do INSS, seja pelo 135 ou pelo portal Meu INSS, em caso de alguma dúvida. É válido frisar que a prova de vida hoje é feita pelo próprio INSS através da apuração e da verificação do banco de dados governamentais, como votação, vacinação e renovação de CNH. O INSS, analisando o banco de dados do governo, vai constatar se o assegurado está vivo ou não”, reforça o advogado especialista em planejamento previdenciário, Elizeu Leite.
Por isso, os segurados devem ficar atentos aos falsos servidores, uma vez que o INSS não costuma utilizar este método. Somente se o instituto não conseguir comprovar que a pessoa esteja viva, será enviado um funcionário até o endereço para realizar os procedimentos necessários.
No entanto, os servidores não pedem cópia de documentos e nem fotografias. De acordo com o INSS, o servidor apenas faz o reconhecimento conferindo o documento de identificação com foto.
Em caso de dúvida, o beneficiário deve pegar nome completo e matrícula do suposto servidor e ligar gratuitamente para a Central de Atendimento 135 para confirmar se a pessoa é realmente do INSS.
Como deve ser 
Antes da visita, serão feitas notificações ao beneficiário pelo aplicativo Meu INSS, pela Central 135 ou até mesmo para um banco que possa realizar, dentro de 60 dias, procedimentos que comprovem a atividade do segurado.
Além disso, nenhum pagamento deixará de ser feito por falta de comprovação de vida até 31 de dezembro deste ano, devido a publicação da Portaria MPS nº 723, de 8 de março de 2024.
Para saber se a “prova de vida” já foi realizada pelo INSS, o servidor pode acessar o aplicativo ou site Meu INSS ou ligar para a Central de Atendimento telefônico 135 para verificar a data da última confirmação de vida.
Por: DP.